A nudez

tumblr_n6t54xjozo1r2an97o1_500

A nudez

 

A poesia é uma mulher nua

E oferece o verso à toada

Enrola sua face obscura sem lua

Fora da outra que emoldura

 

Nas mãos a pele desdobrada

Feito larva que desce a montanha

Íngreme é sua entranha de pelos

Vai do poema até suas vogais

 

A vírgula ela desbota

Abre os fios do varal e canta suas roupas

A nota assim fica branca

Sobe o tom das ancas

 

A poesia é então bela

E seu poeta se vale

Do espelho.

– Iatamyra Rocha

Mulher

“No teu cabelo negro brilham estrelas.”
Elizabeth Bishop

Há uma mulher chamada Nome,
cujo rosto eu desconheço.
Sempre que chego dizem: “Oh, ela
saiu daqui agora mesmo.”

Ah, essa jovem senhora
sabe a aurora, tece com finos dedos
fios de ouro envelhecido, em seus cabelos,
manto amarelo. E o Universo inteiro cede
a um encantamento que ninguém consegue nominar.

Há uma mulher chamada Espelho.

Kátia Borges, Ticket zen.

 

 

Mais poemas aqui no Efêmero:

Anúncios

Obrigada pela visita e palavras.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s