Espelhos

378443174906954295_yLcIHAkh_c

 

 

Ouvir o silêncio

É se espantar com seus queixumes

Ir de encontro com outras facetas do vazio

Sentir o lado forte dos perfumes

 

Desafiar outros desafios

Há muito da paz nas guerras ouvidas

O albatroz bica o mar enquanto ave

Sons graves são  percebidos suaves

Enquanto palavras partidas

 

No  seio da terra

Filosofias despetalam da poesia

A natureza ferve suas feras

Refeitas das outroras macias

 

Ouvi ontem uma folha

Olhava baixinho suas verdagens

Esquecia que agora o que olha

Eram  outras paisagens

 

Então senhora quantos são os silêncios?

Quantos galhos sustentam o vento?

É a arte no providenciar rios

Que contam os rebentos?

 

Falo ao silêncio feroz

Enquanto asas invento

No intento da  foz.

– Iatamyra Rocha

Anúncios

Obrigada pela visita e palavras.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s