Cânforas

Este slideshow necessita de JavaScript.

Meu tempo está em estado de poesia

Palavras liquidas escorrem desavisadas

Enxurradas de versos molham os meus anseios profundos

Retorço-me em ecos, pingando em meu mundo

Levando-me em águas, eu e meu papel sujo de branco

Prantos lavando as cânforas que uso em minhas traças

Queria um tempo calmo só o azul me lambendo a face

Sem transbordar os rios que bebo em minhas taças

Inteiro de puras rimas comportadas de pernas bem fechadas

Não esse puteiro de palavras escancaradas, lua em fases

Desejo tempo doce e bucólico abrindo janelas lacradas

Perfeita poesia clássica com seus talheres reluzentes

Presença melodiosa no meu estado de poesia

Ausência de tempestades loucas e indecentes

Quero só meu mar calmo com palavras que me saciam

E me esvaziar inteira dos meus versos vadios.

®IatamyraRocha

 

Canto de pedras / Prisma

 

 

Anúncios

Obrigada pela visita e palavras.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s