Versos frios

Este slideshow necessita de JavaScript.

Sinto o vento frio

Que sopra em meu coração

As palavras condensam

Antes de chegarem ao chão.

 

Deitada nua aqui estou

Nessa tela fria onde me exponho

No chão de um universo que verso

Do pó ao pó que restou.

 

Só as feias palavras insistem em cair

Os versos de amor só borboleteando

Acima dos meus pensamentos

E eu aqui sem pretensão de sair.

 

Paixão e amor move a dor

E aquele frio na espinha

Agora congela meus ossos

Congela meu amor.

 

Não me olhe poesia

Pois a métrica é nua e crua

E o lirismo me rasga o verbo

Olhe-me em avaria.

 

Minha rouca  voz

Meu pulsar lento

O silêncio que me silencia

E meu cantar algoz.

 

Hoje permaneço assim

No chão…No vão dos versos

Que em vão confesso

Pra mim mesma e fim.Enfim…

 

Amém.

®IatamyraRocha

 


 

Anúncios

Obrigada pela visita e palavras.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s